O que pode causar problemas de impotência sexual?

power-blue-funciona

Olá gente, estou aqui pra conversar com vocês, mais diretamente com o público masculino sobre um problema muito sério que afeta um número absurdo e assustador de homens, que é a disfunção erétil, também conhecida como impotência sexual.

Disfunção erétil é um problema que pode estar associado tanto a deficiências hormonais como de prostaglandinas.

Ou seja, tanto um problema funcional anatômico, onde o pênis para poder ter a ereção ele precisa ter o entumecimento daquele corpo cavernoso, da estrutura dele, e ele precisa que os vasos sanguíneos que estejam lá se dilatem. E através dessa dilatação dos vasos sanguíneos ele conseguir ficar ereto.

Pra isso ele precisa de sinalizadores, porque a gente precisa ter um estímulo para que aconteça isso, tanto
estímulo visual enfim, do toque, esse estimulo sensitivo, como estímulo fisiológico dentro do nosso corpo. Outra fonte de estímulo é o uso de suplementos naturais como power blue.

Metabolicamente, isso precisa acontecer para que fique ereto e também é importante uma relação de hormônios sexuais.

Isso deve ser avaliado com um urologista, que pode fazer um teste funcional, ou seja, são exames específicos para saber se os vasos conseguem inchar ou não, porque não sendo um problema funcional, excluindo esse problema, a gente vai para outras hipóteses.

Aspectos que podem provocar disfunção erétil


Uma hipótese que pode ser avaliada no mesmo tempo desses outros testes são hipóteses psicológicas e hipóteses hormonais.

É claro que o psicológico acaba até interferindo nos hormonais. Com o declínio dos hormônios com o passar dos anos, a tendência é essa função ficar pior, não só pela funcionalidade dos vasos sanguíneos, bem como também pela produção diminuída dos nossos hormônios sexuais.

Os hormônios sexuais, no caso do homem, o mais importante é a testosterona. E através da testosterona nós temos ainda a derivação para outros hormônios, o equilíbrio da testosterona, do estradiol que são os estrogênios, do estradiol, da estrona, do estriol, do DHT que é diidrotestosterona.

E a atividade dessa diidrotestosterona que a gente pode aferir medindo o 3 Alfa Diol são muito importantes. Então, a gente não só deve olhar para a testosterona como também dos seus derivados, aqueles que dependem da testosterona para serem produzidos principalmente, e aí da função do cérebro para saber se o cérebro está mandando produzir o hormônio ou não.

No momento que eu produzo menos diidrotestosterona ou que eu ativo menos essa diidrotestosterona, posso ter complicações, disfunção erétil e diminuição de libido, além de outros, uma série de outros problemas.

O que pode comprometer a produção dos hormônios?

Existem remédios que diminuem a diidrotestosterona, como a finasterida e a dutasterida.

São remédios que têm como função diminuir esses hormônios, então é possível que eles tenham como efeito colateral uma diminuição também do estímulo da libido e da ereção, como também um déficit em todas as funções metabólicas exercidas por esses hormônios do nosso corpo que são hormônios vitais. E é nesse momento importante que power blue funciona para equilibrar os hormônios do homem.

Outra coisa importante além desses hormônios,  é analisar a relação dos hormônios de estresse, e aí a gente entender um pouquinho do estilo de vida de cada pessoa, entendendo questões psicológicas e que afetam a fisiologia dos nossos hormônios.

Às vezes por excesso de estresse, preocupações, ansiedade, as coisas não funcionam muito bem, e aí eu fico com medo de não funcionar novamente.

Nessa situação eu tenho uma ativação de hormônios do estresse, e toda vez que essa cascata do cortisol se eleva, a testosterona acaba diminuindo, então num momento que é para ter prazer e aumentar o meu estresse, eu provavelmente diminuo os hormônios.

Os hormônios funcionam dependendo do momento do dia de uma forma diferente, de um jeito diferente. Se tiver ativação do cortisol, posso ter um declínio da produção de testosterona e da disponibilidade da utilização de testosterona pro meu corpo. E aí, com isso vem o declínio da função sexual.

Outras coisas que podem prejudicar a ação hormonal é ter bons hormônios, mas ter uma quantidade de contaminantes tão grande, que eles acabam intoxicando os receptores hormonais.

Entendo que os hormônios, pra fazer a ação, eles precisam ser produzidos e eles precisam se atrelar os receptores hormonais.

No momento em que ele chega na garagem, a garagem tem o estímulo. Se ele estiver circulando no sangue e não conseguir se conectar sua garagem ao seu receptor hormonal, eu não tenho uma ação, ou seja eu tenho hormônio mas não tenho ação.

Disruptores hormonais

power-blue

Existem inúmeros de diruptores hormonais, que são substâncias que atrapalham o funcionamento dos hormônios, principalmente se atrelando, se conectando aos receptores sem causar função nenhuma, confira mais.

Bisfenol A

Eu vou destacar aqui os plásticos Bisfenol A, que contém dentro dos plásticos, aquele plástico bem fininho que você vai tomando cafezinho e ele esquenta e libera um monte de toxina.

Aquele outro plástico da mamadeira de uma criança. Quando o plástico não é livre de Bisfenol A por exemplo. Deveriam todas ser livres hoje em dia.

O plástico da garrafinha de água que você carrega, deixando no carro esquentando, e ela começa a liberar o Bisfenol A.

O plástico que você coloca no seu microondas para esquentar o alimento, e ali libera uma quantidade assustadora de Bisfenol A. Muito cuidado com o bisfenol A, com esses disruptores.

Além desses disruptores, nós podemos destacar aqui os agrotóxicos, pesticidas, os defensivos agrícolas também funcionam como um disruptor e os metais tóxicos que são os metais pesados.

Chumbo

Chumbo também precisa cuidar. Quem que sofre mais exposição a chumbo: crianças absorvem oito vezes mais do que o adulto e geralmente se intoxicam através das maquiagens da mamãe. Com tintas e maquiagens da mamãe.

Antigamente batom, blush e essas maquiagens femininas contaminavam mais de chumbo através das tubulações, o que não é tão comum mais hoje.

E o fato é que no fundo não deveria existir em nenhuma hipótese chumbo no nosso corpo, e hoje é mais comum temos pessoas com a presença de chumbo. A maioria tem ao invés de não ter.

Mercúrio

Outros metais tóxicos são o mercúrio, e as pessoas mais contaminadas são aquelas que colocaram aquelas restaurações antigas nos dentes.

Amálgama dentaria. A gente fala de amálgama, mas a gente está falando de uma liga que contém mercúrio, e aí já que é muito fácil de se fazer, ela se moldava ao dente e era muito fácil fazer.

Hoje é proibido em alguns países mais evoluídos. Muito se fazia no passado como restauração. Então essas amálgamas na hora que a gente vai mastigando, elas vão liberando o mercúrio.

É importante verificar os níveis de mercúrio e verificar as amálgamas dentárias com dentistas biológicos, porque também na hora de tirar tem que ter todo um sistema para que você não inale aquele mercúrio que às vezes é pior ainda, e às vezes não tem indicação tirar.

Então é a complexidade do procedimento, que é fácil de fazer, mas se não tiver todos os cuidados fica difícil.

Você tem dentistas que entendem realmente do perigo do mercúrio, e mercúrio pode ser encontrado também nos termômetros!

Então, aquele mercúrio também pode ser ingerido por peixes pescados nos rios. Aí a gente tem um grande problema nas populações ribeirinhas da quantidade toxinas que eles estão ingerindo.

Porque o mercúrio não se dissolve, ele não vai embora da natureza. Então no momento que os… antigamente se fazia, ainda se faz né!?

Os garimpos utilizavam o mercúrio, essas pessoas todas se contaminaram, desenvolveram as
mais diferentes doenças.

Infelizmente, as populações que vivem à margem desses rios acabam ingerindo o peixe, ou tomando aquela água ou ingerindo peixe que está contaminado com mercúrio.

Então cuidado com os peixes pescados em rios próximos a cidades ou próximos de áreas conhecidas de garimpo.

Alumínio

Outro metal pesado e tóxico é o alumínio. E esse é o metal que eu mais recebo pacientes com metal alto. É o alumínio mais comum, ele está intoxicado e ainda existem pessoas com panelas de alumínio.

Panela que eu recomendo são as panelas ou de vidro, ou de cerâmica, ou de aço cirúrgico tá!? As de barro tenham cuidado, porque às vezes pode ter chumbo com aquela pintura preta, então tem que ser sem aquela tinta preta, porque a tinta tem chumbo.

E o alumínio pode causar uma série de outros problemas. Ele está ligado ao Alzheimer, por exemplo, e existe uma questão dúbia quanto a relação dele até com câncer de mama.

O alumínio a gente pode se intoxicar ou com a panela ou então com os desodorantes, porque os anti-respirantes que não deixam a gente suar, transpirar são sais de alumínio, e é um perigo também.

A assimilação é muito grande, tanto que a gente sente o cheiro né!? Eu botei o desodorante, ficou aquela nuvem e eu respirei alumínio direto.
como também principalmen

Tanto quanto as mulheres, que depilam e ficam com os poros mais inflamados, mais abertos, ou os próprios homens através do pelo, porque vai pelo pólo do pelo.

Cádmio

Outro metal tóxico é o Cádmio. Então, e o cádmio é um pouco menos comum nas pessoas que não fumam né!? Os tabagistas geralmente acabam assimilando muito cádmio.

Então eles são possíveis motivos também para temos alterações na atividade hormonal e não só na produção hormonal.

Essas são as dicas então, a disfunção erétil deve ser analisada no âmbito geral.

Questões psicológicas, hormonais, de disruptores, de toxinas e também função anatômica funcional, se funcionam ou não os vasos sanguíneos naquele local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *