Saiba como fazer uma Encadernação Belga

É um método de encadernação criado em meados dos anos 80, similar à Japonesa que deixa a costura exposta. Foi inventado por uma encadernadora belga, Anne Goy. Ela procurava uma versão diferente da tradicional encadernação japonesa, queria que o livro pudesse ser aberto a 180º (o que não acontece na japonesa) mas tivesse o aspecto artesanal Japones, ela chama-lhe “crisscross binding”, saiba mais.

A capa é feita separadamente: capa, contracapa e lombada. São feitos vários orifícios nas três peças e depois unidos por linhas que também passam pelo miolo segurando-o á capa, criando assim um padrão diferente e interessante.

A encadernação belga deve ser feita com orifícios de capa e cadernos sempre em números pares.

Confira abaixo o passo a passo de como fazer uma encadernação belga:

MIOLO

Corte as folhas de papel para o miolo. O meu miolo tem oito cadernos e mede 16cm x 16cm. Cada caderno tem 6 folhas.

Depois de dobrar as folhas, colocar o miolo na prensa para um melhor acabamento.

CAPAS E LOMBO

As capas deverão ter 1cm a mais que o miolo no comprimento e 0.5cm a mais na largura, ou seja,  no meu caso a capa medirá 16,5cm x 17cm.

Corte o papelão para o lombo com altura cerca de 0,7cm maior que a altura do miolo. Forre no material que desejar.

capas-e-lombo

PERFURAÇÃO

A encadernação belga é quadrada, ou seja, o espaço entre os orifícios será o mesmo que entre os orifícios e o lombo. No meu caso 2,5cm.

Costumo fazer gabaritos em acetato para facilitar o trabalho e evitar erros e desperdício de material. Com a ajuda do gabarito e de um perfurador, faça os orifícios.

SERROTANDO O MIOLO

Com um lápis faça as marcações para serrotando o miolo, usando como referência o gabarito e a disposições dos orifícios das capas.


COSTURA DAS CAPAS

Pegue um pedaço de fio encerado – costumo utilizar 1,5m. Cole a ponta final do fio com fita adesiva no lado interno da capa. Atravesse o fio de dentro para fora, cruze-o por cima do lombo, cruze-o novamente por fora da segunda capa e entre através do orifício.

Faça o caminho contrário até entrar novamente no orifício inicial. Virei as capas para melhor visualização. Saindo novamente do orifício inicial, passe por baixo do lombo e entre no primeiro orifício da primeira capa. Parece complicado, mas não é, não.

Esse vai e vem é que dará o charme da costura. Virando as capas novamente, dê uma laçada para deixar a costura mais firme. Passe para o segundo orifício.

Os cruzamentos serão exatamente iguais. Você verá que é a repetição do passo anterior, inclusive a laçada. A laçada final é fundamental! Passe um pouquinho de cola branca tanto na primeira laçada quanto na última.

O aspecto da costura depois de finalizada é ótimo.

COLOCAÇÃO  DO  MIOLO

O miolo é costurado às capas de forma totalmente diferente do que estamos habituados.

Passe a linha 10 encerada no primeiro serrotado do último caderno, de fora para dentro. Deixe 10 cm de linha para a laçada.

Passe a linha de dentro para fora no segundo serrotado e, para fixar o caderno à capa, passe a linha pelos terceiro e quarto cruzamentos da costura do lombo entrando novamente pelo terceiro serrotado do caderno. E assim sucessivamente até o último serrotado.

No último serrotado a linha sairá pelo lado de fora. Anexe o segundo caderno entrando com essa linha de dentro para fora. No final da costura do segundo caderno, dê duas laçadas para ligar o segundo caderno ao primeiro.  A sequência é exatamente igual. Repita os mesmos passos até o último caderno.

Abaixo você pode ver resultado final:

ultima

 

Melhores câmeras digitais profissionais de 2015

Fotógrafos profissionais especialistas exigem um grau de personalização, desempenho, robustez e fazem questão de que as câmeras possuam DSLRS (DSLR é a sigla em inglês para digital single-lens reflex, que em uma tradução livre seria “câmera digital de reflexo por uma lente”).

Gostam de usar acessórios que melhorem o desempenho. Alguns acessórios e lentes se tornam uma obrigação. Se você tiver aspirações profissionais ou for um profissional experiente, abaixo estão os modelos que você deve levar em consideração.

Eles precisam de um investimento significativo, mas em troca eles vão te fornecer imagens de ponta e uma gama de ferramentas para que você crie resultados fantásticos.

Confira abaixo quais são as melhores câmeras profissionais:

Nikon D4 (Apenas câmera, sem lentes)

Para os fãs da Nikon que procuram uma câmera multimídia para fotografias profissionais.

Preço: Aproximadamente R$25.000.

Canon EOS 5D Mark III

A Canon EOS 5D Mark III vale a pena pelo custo beneficio. A câmera trás grande desempenho e muitas funcionalidades.

Preço: Aproximadamente R$10.000.

     

Nikon D800 (Apenas câmera, sem lentes)

Uma excelente câmera.  A aquisição vale muito a pena. A câmera compensa cada centavo do seu elevado preço. A Nikon D800 deve agradar aqueles que esperaram pacientemente para substituir seus velhos equipamentos Nikon.

Preço: Aproximadamente R$10.000.

Sony Alpha SLT-A99 (Apenas câmera, sem lentes)

A Sony Alpha SLT- A99V é primeira digital Full Frame a contar com tecnologia de espelho translúcido, além de possibilitar a gravação de filmes com qualidade Full HD 1080 em 24p, 60p e 60i.

Preço: Aproximadamente R$8.600.

sony

Canon EOS 5D Mark II

A EOS 5D Mark II full frame combina uma resolução extraordinária com gravação de até 3,9 fps e um desempenho ISO muito elevado. A adição da gravação de filme Full HD expande as possibilidades da fotografia.

Preço: Aproximadamente R$10.000.

Nikon D300S

A Nikon D300s é uma das câmeras profissionais Nikon mais incríveis que existem, especialmente se você precisar de uma taxa de ruptura um pouco melhorada com baixa luz, mas se você não se importa com a qualidade dos vídeos essa câmera vai atender seus desejos.

A câmera conta com Sensor de imagem CMOS formato DX de 12,3 megapixels, disparo contínuo de até 7 qps e processamento de imagem Nikon EXPEED.

Preço: Aproximadamente R$7.000