Por que tudo é tão caro no Brasil?

Eu morei no Brasil durante anos da minha vida, hoje, atualmente, eu vivo nos EUA, e tem sido ser muito fácil perceber o quanto as coisas custam caro no Brasil em comparação com vários outros países do mundo.

Um dos elementos que colaboram para que os preços sejam extravagantemente maiores são os impostos, incapacidades econômicas e personalidade dos brasileiros, que gostam de consumir cosias caras para mostrar aos amigos e familiares.

Quando o console do PS4 foi lançado, nos Estados Unidos, ele custava 399U$, no entanto o jogo no Brasil custa inacreditáveis 4 mil reais, o que equivale a cerca de US$ 1.900.

Este valor é suficiente para que você compre passagens de avião de ida e volta para viajar entre Brasil e Miami e ainda comprar um videogame nos EUA.

Outra triste realidade de como automóveis podem ser caros no Brasil. Atualmente, um Volkswagen Gol 2015, que é o carro preferido do brasileiro, produzido no Brasil e também considerado popular é vendido por R$40.000 reais, na sua versão mais barata.

No México, a mesma custa R$23.000 reais. Também no México, um Camaro, da marca Chevrolet, custa cerca de R$65.000 reais, enquanto no Brasil esse mesmo automóvel exato custa absurdos R$190.000 reais, praticamente três vezes mais do que custa no México.

Dezenas de vários outros exemplos poderiam ser citados, demonstrando como o Brasil é um país que vende caro seus produtos, comparado a outros países. Por isso, a pergunta de muitos brasileiros é: por que os preços são tão caros no Brasil? É uma questão desafiadora. Como citado acima, um dos maiores motivos são os impostos cobrados para financiar setores como segurança e educação.

Para o PS4, do valor de R$4.000, R$ 2.524 são impostos. As taxas no Brasil também são influenciados pelo estado atual das infraestruturas do país, em particular o sistema de transportes. São cobradas taxas de Imposto de Importação: 20%, ICMS: 25% no estado de São Paulo, Margem de valor agregado: 33,54%, PIS: 1,65%, Cofins: 7,6% e IPI: 50%.

Por essa razão, para que o consumidor médio tenha poder de adquirir esses produtos, apesar dos preços altíssimos, bancos e varejistas disponibilizam diversas formas de pagamento e parcelamentos sem juros. Dessa forma é possível parcelar os produtos em várias vezes, com pequenas parcelas mensais que não comprometem o orçamento mensal. Infelizmente é a forma como os brasileiros compram produtos caros e superfaturados, e ainda, muitas vezes, comprometem seus orçamentos com o acumulo de parcelas em seus cartões de crédito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *